Núcleo de Estudos sobre Meio Ambiente e Contabilidade – NEMAC

Líderes: Profa. Dra. Fabricia Silva da Rosa
Profa. Dra. Elisete Dahmer Pfitscher

Descrição:
Avaliação da sustentabilidade em instituição federal de ensino superior. Gestão da sustentabilidade em Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

Projetos Financiados:

1. Bolsa de Produtividade em Pesquisa (PQ) Nível 2 – Fabricia Silva da Rosa
*Título do projeto: INOVAMBIENTAL: O EFEITO DAS PRESSÕES DE STAKEHOLDERS E DO USO DE CONTROLES NAS PRÁTICAS DE INOVAÇÃO AMBIENTAL
*Resumo: Este estudo tem como objetivo analisar o efeito conjunto das pressões dos stakeholders e do uso de Management Accounting Control System (MACS) nas práticas de inovação ambiental e seu impacto no desempenho das indústrias. Especificamente, baseia-se no entendimento de que as pressões dos stakeholders e a estrutura de alavancas de controle de Simons devem ser tratadas e monitoradas para auxiliar os gerentes das indústrias a implementarem práticas de inovação ambiental, esperando que uma melhor gestão desses aspectos melhore o desempenho da indústria. Desta forma, esta pesquisa pressupõe que a ocorrência simultânea de pressões dos stakeholders e do uso de MACS desencadeia a implementação de práticas de inovação ambiental. Além disso, argumenta-se que o uso do monitoramento dos dados pode ser feito pelo uso do Big Data Analytics para melhorar a compreensão e decisão dos gestores a respeito do efeito das práticas de inovação ambiental no desempenho das indústrias.
*Coordenadora: Fabricia Silva da Rosa
*Alunos envolvidos: 3 (graduação); 2 (mestrado acadêmico); 1 (doutorado)
*Período de financiamento: 2019 a 2022 (36 meses)
*Valor do financiamento: R$ 39.600,00

2. Bolsa de Produtividade em Pesquisa (PQ) Nível 2 – Fabricia Silva da Rosa
*Título do projeto: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: INSTRUMENTO PARA APOIAR DECISÕES NA GESTÃO PÚBLICA DE CIDADES BRASILEIRAS
*Resumo: Compreendendo que os impactos ambientais são evidentes e percebidos pela sociedade como uma ameaça ao ecossistema global e que essa problemática se agrava nas cidades, dada a concentração de pessoas e sua intervenção massiva no meio ambiente, percebe-se, sob a luz da Teoria dos Bens Públicos, que o tema sustentabilidade das cidades é complexo e pode acarretar assimetrias informacionais e/ou comunicação incompleta entre gestores públicos e sociedade, e, portanto, necessita de um processo estruturado de gestão. Nesse contexto, emerge um problema a ser investigado: como estruturar um processo de gerenciamento da sustentabilidade ambiental para cidades brasileiras? Para responder essa pergunta, a presente pesquisa tem como objetivo propor um processo estruturado de gestão da sustentabilidade ambiental para cidades brasileiras.
*Coordenadora: Fabricia Silva da Rosa
*Período de financiamento: 2016 a 2019
*Valor do financiamento: R$ 39.600,00

3. Edital MCTI/CNPQ/Universal 01/2016 – Faixa B
*Título do projeto: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: INSTRUMENTO PARA APOIAR DECISÕES NA GESTÃO PÚBLICA DAS CIDADES
*Resumo: Compreendendo que os impactos ambientais são evidentes e percebidos pela sociedade como uma ameaça ao ecossistema global e que essa problemática se agrava nas cidades, dada a concentração de pessoas e sua intervenção massiva no meio ambiente, percebe-se, sob a luz da Teoria dos Bens Públicos, que o tema sustentabilidade das cidades é complexo e pode acarretar assimetrias informacionais e/ou comunicação incompleta entre gestores públicos e sociedade, e, portanto, necessita de um processo estruturado de gestão. Nesse contexto, emerge um problema a ser investigado: como estruturar um processo gerenciamento da sustentabilidade ambiental para cidades brasileiras? Para responder essa pergunta, a presente pesquisa tem como objetivo propor um processo estruturado de gestão da sustentabilidade ambiental para cidades brasileiras.
*Coordenadora: Fabricia Silva da Rosa
*Pesquisadores: Rogério João Lunkes; Vicente Mateu Ripoll Feliu; Elisete Dahmer Pfitsher; Emma Teresa Castelló Taliari
*Alunos: 1 (graduação), 0 (mestrado), 1 (doutorado)
*Período de financiamento: 2017 a 2019
*Valor do financiamento: R$ 23.000,00 + Bolsa AT

4.Edital Nº 2/2018/PROEX – PROBOLSAS 2019
*Título do projeto: Projeto de Extensão – Contador Cidadão
*Resumo: Este projeto de extensão tem como objetivo disseminar o conhecimento sobre orçamento público. Visa, sobretudo, despertar nos estudantes do ensino fundamental de escolas da região da grande Florianópolis e do ensino superior do curso de Ciências Contábeis da UFSC uma consciência crítica sobre cidadania e gastos públicos, contribuindo com a formação de cidadãos atuantes nas decisões de interesse coletivo. Na realização do projeto, são envolvidos estudantes de séries finais do ensino fundamental, os quais realizam atividades socioeducativas, como visitas à Biblioteca Universitária, à Reitoria da UFSC, ao Auditório do Conselho Universitário, a palestras e feira (SEPEX) para conhecer o ambiente institucional da Universidade, além de desenvolverem atividades educativas, como jogos, músicas, apresentações, vídeos e teatros. Além disso, alunos de graduação em Ciências Contábeis da UFSC, monitorados por alunos do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da UFSC, planejam projetos para cidades sustentáveis e os integram no planejamento orçamentário municipal, expressando o projeto formalmente por meio dos instrumentos de planejamento orçamentário (PPA, LDO e LOA), maquetes e cartazes. Os materiais didáticos e instrucionais utilizados no projeto são elaborados pelos estudantes da disciplina de Contabilidade Pública I do curso de Ciências Contábeis, monitorados por alunos do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade, ambos da UFSC e supervisionados por professores. Reconhecendo a importância de fortalecer o conhecimento sobre a contabilidade pública na formação de cidadãos críticos, o projeto de extensão busca, através da interação entre Universidade e Comunidade, uma forma de disseminar conhecimento e destacar a importância da contabilidade nas tomadas de decisões no contexto do setor público.
*Coordenadora: Fabricia Silva da Rosa (PPGC/UFSC)
*Participantes: Celma Duque (UFG); Viviane Silva da Rosa (PMSJ); Cleonice Maria Steimbach (PMSJ)
*Público-alvo: Estudantes de graduação, estudantes de pós-graduação, comunidade de Florianópolis e região
*Período: 18/11/2017 a 30/11/2020
*Valor financiado: R$ 0,00

5. Pesquisa ETC-2016/2017, Órgão Financiador: TCE-RJ
*Título do projeto: GESTÃO DE CUSTOS: ESTUDO SOBRE USO E IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO DE CUSTOS NAS PREFEITURAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
*Resumo: Conforme Holanda (2013), utilizar um sistema de custos públicos pode efetivamente oferecer melhores serviços à população e melhorar a qualidade do gasto. Na contabilidade pública brasileira essa preocupação surge antes mesmo da implantação da administração pública gerencial, tendo início com a Lei nº 4.320/64, seguida do Decreto Lei nº 200/67, e posteriormente tem-se a Lei Complementar nº 101/2000, Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). E em 2008 o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) aprovou a Resolução CFC 1.128/08, que instituiu as Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público, as NBC T16, cuja norma técnica NBC T 16.2 – Patrimônio e Sistemas Contábeis traz a criação do Subsistema de Custos. Assim, a gestão de custos públicos torna-se um tema relevante e atual, contudo é importante considerar que o processo de implementação ainda é uma realidade que não atinge todos os municípios brasileiros, incluindo alguns do Estado do Rio de Janeiro. Desta forma, objetiva-se responder o seguinte problema de pesquisa: que medidas as prefeituras do Estado do Rio de Janeiro podem adotar visando ao aperfeiçoamento da gestão e à implementação do sistema de custos? Busca-se, portanto, como objetivo do projeto propor medidas para o aperfeiçoamento da gestão e implementação de sistemas de custos nas prefeituras do Estado do Rio de Janeiro.
*Coordenadora: Fabricia Silva da Rosa
*Pesquisador: Rogério João Lunkes
*Alunos: 0 (graduação), 0 (mestrado), 1 (doutorado)
*Período de financiamento: 09/2016 a 08/2017
*Valor do financiamento: R$ 10.000,00